sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Floresta, cachecol de crochê

"Queremos que a floresta permaneça silenciosa, que o céu continue claro, que a escuridão da noite caia realmente e que se possam ver as estrelas.
As terras dos brancos estão contaminadas, estão cobertas de uma fumaça-epidemia-xawara que se estendeu muito alto no peito do céu. Essa fumaça se dirige para nós mas ainda não chega lá, pois o espírito celeste Hutukarari a repele ainda sem descanso. Acima de nossa floresta o céu ainda é claro, pois não faz tanto tempo que os brancos se aproximaram de nós. Mas bem mais tarde, quando eu estiver morto, talvez essa fumaça aumente a ponto de estender a escuridão sobre a terra e de apagar o sol.
Os brancos nunca pensam nessas coisas que os xamãs conhecem, é por isso que eles não têm medo. Seu pensamento está cheio de esquecimento. Eles continuam a fixá-lo sem descanso em suas mercadorias, como se fossem suas namoradas". Davi Kopenawa Yanomami, in Novaes, Adauto (org.) - A Outra Margem do Ocidente, São Paulo: Minc - Funarte/Companhia Das Letras, 1999.

Feliz final de semana! Beijos, Paz, Amor e Luz!

Um comentário:

MARCI disse...

ciao Lidia,grazie per il tuo commento su Flickr,sono onorata che ti piace
perchè tu sei bravissima e i tuoi lavori sono very beautiful
un bacio Marcella

www.marcella-cataldo.blogspot.com